Exercícios físicos e diabetes

DIABETES TIPO 1

As respostas ao exercício são variáveis e dependem, entre outros fatores, dos níveis de insulina plasmática. O exercício em excesso pode causar uma hipoglicemia (níveis baixos de açúcar no sangue) devido ao maior aproveitamento da glicose pelo músculo e a inibição da liberação da glicose pelo fígado. Devido a uma influencia hormonal, os níveis de insulina podem estar muito baixos. Durante o exercício, o fígado continua produzindo glicose, o tecido adiposo (gorduroso) libera ácidos graxos e o músculo capta pouco a glicose circulante. Estes processos podem resultar em grande aumento de glicose e corpos cetônicos no sangue . Por isso, se os níveis glicêmicos forem maiores que 250 mg/dL, existir cetonúria (observa-se o hálito cetônico) ou se a glicemia for maior 300 mg/dL, independente da presença de corpos cetônicos, é aconselhável aumentar a dose de insulina e retardar os exercícios físicos. (Franz, 2001)

A hipoglicemia é mais comum após o exercício do que durante o exercício, devido a necessidade do músculo repor o glicogênio (glicose de reserva do músculo), que pode levar de 24 a 30 horas. O que pode levar a um aumento da quantidade de carboidratos na dieta e/ou diminuição da insulina prescrita, isto após uma avaliação individual. (Franz, 2001)

Então, quanto acrescentar de carboidrato (CHO)? (Franz, 2001)

* No geral, acrescentar 15g CHO para cada hora adicional de exercício (antes ou após a atividade).
* Para um exercício mais extenuante: ex.: (30 a 60 minutos) Tênis, natação, ciclismo rápido, poderá ser necessário 30g/CHO adicional ou o ajuste da insulina.
* Se a glicemia pré-exercício estiver menor que 100 mg/dL, ingerir CHO adicional (ADA, 2007).

Exemplos de alimentos com 15g de CHO:

* 3 colheres de sopa de arroz integral
* 1 maçã pequena com casca (100g)
* ½ pão francês
* 1 barra de cereal

Atenção!!!!

A gramatura de um alimento é diferente de grama de carboidrato (CHO)
Exemplo: 1 barra de cereal de 25g possui 15g de CHO.

Para saber grama de CHO, existem tabelas específicas. Consulte o site da Sociedade Brasileira de Diabetes.

E de preferência consulte sempre um nutricionista que fará uma prescrição dietética adequada de acordo com suas necessidades nutricionais, levando em consideração seu biotipo, exercícios físicos e estilo de vida.

DIABETES TIPO 2

O exercício físico melhora a sensibilidade à insulina, que resulta na melhor utilização periférica da glicose, durante e após o exercício. Isto possibilita um melhor controle da glicemia. Este efeito benéfico desaparece mais ou menos 48 horas depois do exercício. Vem daí a importância de manter-se a regularidade dos exercícios físicos.

NUNCA PRATICAR QUALQUER EXERCÍCIO FÍSICO SEM ALIMENTAR-SE

Texto baseado em resumo da nutricionista Rejane Fontenelle.

Referências Bibliográficas:

American Diabetes Association. Standards of medical care in diabetes-2007. Diabetes Care, 2007;30 (suppl 1) 4-41.

Franz M. Terapia nutricional médica. In: Davidson MB. Diabetes mellitus:diagnóstico e tratamento.4ed. Rio de Janeiro:Revinter.p.39-68.

Esta entrada foi publicada em Nutrição Funcional e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta